sábado, 17 de dezembro de 2016

O novo single de Celina da Piedade para o Natal de 2016, "Aurora tem um menino"

Com desejos de Festas Felizes para todos, Celina da Piedade apresenta o seu single de Natal, "Aurora tem um menino", o terceiro do disco "Sol" (ed. Sons Vadios 2016).
O video é um trabalho de Alex Gaspar e Pedro Estevão Semedo, com a participação especial de Filipa Ribeiro, Hugo Baletas e do bebé Valentino Pinto Paulino. 
A música, uma moda alentejana aqui adaptada ao universo musical de "Sol", conta, para além de Celina da Piedade na voz e acordeão, com António Bexiga na Viola Campaniça, Carlos Menezes no contrabaixo,  Filipa Ribeiro nas vozes, João Gil na guitarra e Sebastião Santos na bateria. 



AURORA TEM UM MENINO
(trad. Alentejo/ Celina da Piedade/ Alex Gaspar)
Dorme meu menino d’oiro
Ó meu lindo amor
Não chores a tua sorte
Ó meu lindo amor
Ó meu lindo bem
Que eu de ti nunca me perco
Ó meu lindo amor
Minha estrela do norte
Ó meu lindo amor
Ó meu lindo bem
Aurora tem um menino
Mas tão pequenino
O pai quem será
É o Zé da Aroeira
Que vai prá Figueira
Mais tarde virá
No adro de São Vicente
Onde há tanta gente
Aurora não está
Cala-te Aurora não chores
O pai da criança
Mais tarde virá

domingo, 11 de dezembro de 2016

Novo cd "Sol" já à venda

O lado mais solar do novo disco de Celina da Piedade é sem dúvida o que está dentro da caixa!:)
O cd já está disponível nas lojas e nas plataformas digitais itunes e GooglePlay

Pode também encomendar o seu cd aqui:
www.sonsvadios.pt/js_albums/sol

edição © Sons Vadios, 2016
Apoio Associacao Mutualista Montepio e Antena 1






quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

"Acredito", segundo single do novo disco de Celina da Piedade






"Acredito" é o segundo single do disco "Sol" (edição Sons Vadios, 2016), um tema com letra de Celina da Piedade e música de Alex Gaspar, que também assina o video ao lado de Pedro Estevão Semedo. O videoclip conta com a participação especial de Ana Rosa Piedade, António Zambujo, Cristiano Lubik e Salvador Pinto Gaspar.



ACREDITO


Acredito em pouca coisa
Que venha escrita em loiça
Dessa de pôr na parede
Acredito mais no desempenho
Da laranja que apanho
Que como e me mata a sede
Acredito nas façanhas
Muito menos nas patranhas
De quem faz só porque sim
Acredito nas crianças
No meu ventre são esperanças
De um futuro sem fim
Acredito na loucura
De quem pede mais ternura
E vira costas à guerra
Acredito na fé dos outros
Que às vezes abrem poços
Só para encontrar mais terra
Acredito no Caetano
No Zambujo que é meu mano
Em todas as vozes calmas
Acredito na poesia
E também na aletria
Em todos adoçantes de almas
Acredito na minha mãe
Ela que sofreu bem
Para que eu fosse como sou
Crente nos frutos e flores
Nos mais impossiveis amores
Onde o sol mais brilhar eu estou

música: Alex Gaspar

letra: Celina da Piedade

domingo, 20 de novembro de 2016

Celina da Piedade no Vodafone Mexefest


Celina da Piedade é um dos nomes confirmados para o cartaz do Festival VODAFONE MEXEFEST!

O Concerto será no dia 26 de Novembro na Sala Delta do Palácio Foz, em Lisboa.

sábado, 19 de novembro de 2016

"Assim sou eu", primeiro single do disco SOL






"Assim sou eu", composição original de João Gil com letra de António Avelar Pinho, é o primeiro single do terceiro disco de Celina da Piedade, "Sol", edição da Sons Vadios, 2016. 
O video em stopmotion é um trabalho de Alice do Carmo Afonso, uma jovem de 14 anos a quem foi dada toda a liberdade criativa, com um resultado impressionante. A Alice é filha da reconhecida fotógrafa de música Rita Carmo. 


ASSIM SOU EU

Sou formiga, sou cigarra
Sou cantiga, pinto a manta, faço a farra
Sou a lebre e a tartaruga
Sou de raça, estou em brasa, vou à luta 
Sou bichinho bem manhoso
Poderoso e preguiçoso
Com franqueza e arredia
Sou tristeza e alegria
Sou chorona, está na palma
Rezingona, perco a calma
Sou destino ensarilhado
Diz a linha do meu fado

Sei que assim sou eu
Sei lá eu por que sou assim
Está-se mesmo a ver
Sempre assim vou ser
Está dentro de mim
Eu ser assim

Sou areia, sou granito 
Fico cheia, sou o “bom e o bonito”
Sou canseira, sou de gancho
Parideira, só de filhos faço um rancho
D’ir à luta tenho ganas
Contra gregas e troianas
Lusitana, luzidia
Sou beleza e ousadia
Sou mandona, está na alma
Rezingona, perco a calma
Tudo muito complicado
Diz a letra do meu fado


Letra: António Avelar de Pinho

Música: João Gil